7 Tipos de violências contra idosos e como proceder se sofrer alguma violência?



Inúmeras vezes nos deparamos com vídeos de familiares ou cuidadores agredindo pessoas na terceira idade, sem a mínima chance de defesa.
Situações como essas diversas vezes não são filmadas, isto se remete a quantidade de idosos que vem sofrendo violência e maus-tratos sem as autoridades terem ciência.

Desta forma, foi instituído em 2006 pela Organização das Nações Unidas (ONU) e a Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa, ficando o Dia Mundial 15 de junho, com o objetivo de sensibilizar a população para combater as diversas formas de violência e maus-tratos contra pessoas com mais de 60 anos e para conscientização da importância de denunciar os crimes praticados.

Existe 7 tipos de violência contra pessoa idosa 











O QUE FAZER SE SUSPEITA QUE ALGUM IDOSO(A) VEM SENDO VÍTIMA E/OU ESTÁ SOFRENDO VIOLÊNCIA?

Primeiramente, vale ressaltar que, o Estatuto do Idoso no art.19 dispõe a OBRIGATORIEDADE COMPULSÓRIA de denunciar/comunicar quaisquer suspeitas às autoridades e órgãos policiais, sanitárias, assistência social do município, Ministério Público, Conselho municipal, estadual ou federal do idoso.

Mas quando é possível conversar com a pessoa idosa, confirme com ela se realmente está sofrendo violência, se persistir a suspeita comunique ao Conselho/ Ministério Público ou Delegacia informando a
situação.

Esses órgãos são responsáveis e irão decretar a medida protetiva e a responsabilização penal pelo crime cometido contra o idoso. A notificação compulsória dos órgãos de saúde e assistência acionada irá proteger, cuidar e acompanhar o caso.

EU SOU IDOSO(A) E ESTOU SOFRENDO VIOLÊNCIA, O QUE FAÇO?

Procure uma pessoa de confiança e relate tudo que vem ocorrendo, e peça ajuda de um profissional da área da saúde de uma unidade próxima a sua casa, ou busque o Conselho do Idoso na sua cidade, caso não tenha, tem o Ministério Público ou a Delegacia para denunciar a violência que vem sofrendo.

É importante que os profissionais, familiares, amigos (as), cuidadores fiquem atentos a qualquer mudança de comportamento da pessoa idosa, porque nem sempre a violência deixa marcas visíveis, até pode deixar traumas e levar a óbito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages